Psicoterapia Emocional e Bonding

Por psicoterapia emocional entendemos uma variedade de psicoterapias que recorrem ao reconhecimento e libertação de emoções que o paciente tinha guardadas dentro de si e que não reconhecia. Uma forma de psicoterapia emocional não Bonding também foi criada e desenvolvida em Portugal por Domingos Neto e colaboradores. É muito semelhante à psicoterapia Bonding mas não recorre ao grito. Apenas à explicitação de emoções.

A Psicoterapia Bonding, é uma forma de psicoterapia Emocional, praticada em dez países e há mais de 30 anos.

É muito eficaz para pessoas que têm problemas psicológicos ou emocionais baseados na falta de preenchimento de necessidades psicossociais básicas, como a necessidade de vinculação (relação de afecto e ligação aos pais estabelecida desde fases precoces da vida, e que influencia toda a vida relacional da pessoa).

Experiências insatisfatórias e penosas de vinculação podem conduzir ao desenvolvimento de padrões disfuncionais. A psicoterapia bonding usa um método correctivo, ajudando pessoas a estabelecer um contacto físico saudável, a expressar satisfatoriamente as suas emoções, a mudar padrões cognitivos disfuncionais e a adoptar comportamentos construtivos.

O objectivo da Psicoterapia Bonding é a redução ou desaparecimento de sintomas e aumentar o prazer e a alegria de viver.

A Psicoterapia Bonding ajuda a transformar a zanga em amor nas famílias; o afastamento em amizade nos casais.

Nos indivíduos transforma a solidão em sentimento de pertença.

Ajuda pessoas de qualquer idade ou situação, a:

  • Manejar melhores sentimentos antigos ou actuais de dor, zanga e medo.
  • Corrigir crenças e atitudes subjacentes relacionadas com esses sentimentos.
  • Experimentar uma ligação maior a si próprio e aos outros, mais felicidade e mais sentido na vida diária

Quando usam este processo dinâmico, as pessoas aprendem a:

  • Libertar sentimentos de raiva, zanga, medo, tristeza e dor de maneira segura e construtiva
  • Clarificar e discernir sobre as suas situações e vida
  • Integrar essa “inteligência emocional” recém adquirida e fazer acções construtivas e positivas

Aplicações práticas

  • Grupos terapêuticos semanais
  • Workshops
  • Terapia familiar
  • Terapia conjugal

Pode fazer parte de Programas de Internamento em clínicas e Comunidades Terapêuticas, Como na Clínica do Senhor da Serra e e no Internamento da Unidade de Alcoologia de Lisboa.

Pode ser utilizada em meio prisional e praticamente em todas as instituições onde se procure o desenvolvimento pessoal.

Como funciona?

Uma das primeiras coisas que carateriza a psicoterapia emocional e a psicoterapia bonding é que se pede ao doente que não venha à consulta só falar mas também que exclame/grite, não qualquer coisa mas frases selecionadas e que exprimam uma ideia só ou um afeto só para cada frase.

Neste sentido, são psicoterapias mais ativas do que as psicoterapias verbais anteriores, individuais ou de grupo. Requerem que o doente não só vá às consultas ou às sessões de grupo mas faça dentro delas uma atividade específica. São psicoterapias ativas.

As emoções não mentem e ajudam a pessoa a perceber o que a preocupa no momento e a ver as opções de saída que lhe restam.

A Intimidade Física no Bonding passa por um abraço. Quem não o aceita, poderá sempre aceitar o colo. Quem mesmo assim, não o aceite, por norma aceita o face-a-face, onde apenas é pedido ao doente, que exclame, enquanto olha nos olhos da pessoa que está à sua frente.

 

Terapia Emocional em Ambulatório, individual e em grupo:

  • Sem gritar, muito utilizada em ambulatório e no internamento, sentados em cadeiras, exclamando sentimentos sem gritar.

Terapia Bonding em grupo:

  • Trata os problemas do dia-a-dia, recorrendo a emoções em vez de recorrer a teorizações.
  • No Bonding, para fazer aparecer a emoção recorre-se ao grito e a alguma intimidade física não sexualizada, de modo a que a pessoa tenha um apoio humano.
  • Usam-se frases que ajudem a pessoa e o terapeuta a perceber os seus sentimentos.
  • A cura não passa por gritos, nem por abraçar ninguém, mas sim, por encontrar as vias para a resolução dos diferentes problemas.
  • Ajuda a ver os problemas melhor e permite à pessoa modificar comportamentos que a prejudicam.
  • Pode ajudar doentes com inibições. No entanto, há doentes que recusam o método, por isso, poderá fazer-se uma terapia face-a-face ou Psicoterapia Emocional Individual, apenas na presença do psicoterapeuta.
  • O face-a-face pode ser utilizado também em grupo na presença do psicoterapeuta, chamando-se assim Psicoterapia Emocional em Grupo.

Marcar consulta